Atendimento x distanciamento social

Nestes tempos de novos hábitos, tenho refletido muito sobre atendimento. Tenho o privilégio de assessorar clientes, auxiliando-os com o desenvolvimento de seus eventos, e percebi muitos trabalhos brilhantes serem ofuscados por um atendimento desalinhado com o momento atual.

E que momento é esse? O momento do atendimento não presencial, dos contatos à distância e dos contratos sem abraços, beijos e café quentinho. Quem já visitou nosso escritório em Campinas/SP, sabe que amamos uma reunião com direito a café fresquinho, chá e bolachinhas!

Perceber que algumas empresas não estavam preparadas para esse atendimento aparentemente frio e distante, mesmo com suas excelentes entregas, me fez acionar alguns planos “B” e até “C”. Foram tentativas de agendar degustações sem o menor retorno, mediar conversas e ajustes entre cliente e fornecedor, dificuldade em avançar com negociações por falta de suporte das empresas.

Clientes são visuais para a maior parte das decisões de seus eventos – não à toa, Pinterest e Instagram são ferramentas queridinhas por quem planeja um evento especial como um aniversário ou casamento. Inclusive, você já conhece o nosso Instagram?

O abraço é fundamental no relacionamento com o cliente: acolhedor e um porto seguro em muitos momentos. O aprendizado é que esse abraço pode ser bem apertado e quentinho mesmo com a distância.

Haviam muitas empresas preparadas sim para o novo atendimento, outras se ajustaram rapidamente e algumas tiveram mais dificuldade – talvez ainda tenham. O cliente não está preparado para esperar: ele deseja ser acolhido e abraçado a g o r a!

São 4 os pilares necessários para abraçar o cliente:  “namoro”, contratação, relacionamento e entrega. Faltar clareza e rapidez na primeira fase, impede que as demais ocorram.

Reconhecer as lacunas e aprimorar o abraço ao cliente é um assunto que pode e deve ser a busca constante de todas as empresas, de todos os parceiros. Deve ser conversada em roda de amigos e cotidianamente para a transformação de um segmento inteiro em benefício do cliente. Seja no setor de eventos, seja em todos os setores da economia.

Atitudes positivas sempre inspiram! O que vocês pensam sobre esse assunto? Quais as maiores dificuldades que vocês sentiram durante a quarentena?